Quem é o novo ministro da educação do Brasil?

Reportagem Especial
Abraham Weintraub fez carreira no mercado financeiro e não tem experiência em gestão educacional (
Abraham Weintraub fez carreira no mercado financeiro e não tem experiência em gestão educacional (

Na última segunda-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro demitiu o então ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, protagonista do caos que tomou conta do MEC desde o início do ano. Em pouco mais de três meses à frente do cargo, o ex-ministro acumulou polêmicas e não resistiu à pressão social: caiu!

No mesmo dia, Bolsonaro anunciou o professor Abraham Weintraub para o cargo. Mas quem é novo mandachuva do MEC? Qual sua experiência em gestão educacional? 

Carreira no mercado financeiro
Abraham Weintraub é executivo do mercado financeiro há 20 anos. Até a semana passada, atuava como secretário-executivo da Casa Civil, segundo cargo mais importante dentro da pasta.  Assim como o irmão Arthur, que também ocupa cargo no Governo, Abraham foi apresentado a Bolsonaro pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Na iniciativa privada, ele trabalhou no Banco Votorantim por 18 anos, onde foi economista-chefe e diretor. Foi sócio na Quest Investimentos e membro do comitê de Trading da BM&FBovespa.

O novo responsável pelo MEC é graduado em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Administração na área de Finanças pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) desde 2014, atualmente licenciado.

Seguidor de Olavo de Carvalho
Além da preocupante falta de experiência em educação e gestão pública, Abraham Weintraub também é seguidor do astrólogo e escritor Olavo de Carvalho. Demonstra alinhamento ideológico às pautas neoliberais e de extrema-direita e diz que irá combater o “marxismo cultural”.

No ano passado, segundo revelou matéria do UOL, ele afirmou que as universidades do interior do Nordeste não deveriam ensinar matérias como sociologia e filosofia, mas agronomia. 

“Em vez de as universidades do Nordeste ficarem aí fazendo sociologia, fazendo filosofia no agreste, [devem] fazer agronomia, em parceria com Israel", afirmou Weintraub. 

Discurso de posse
Em seu discurso de posse, Abraham Weintraub disse que é necessário "melhorar o serviço" prestado pelo Ministério da Educação. Ressaltou que quer “acalmar os ânimos” e entregar os resultados esperados para melhorar a educação sem aumento de gastos.

Ele assume um ministério envolvido em polêmicas e que sofreu diversas demissões desde o início do governo Bolsonaro. O MEC já teve ao menos 14 baixas, sendo que dois cargos estratégicos ainda estão vagos: a secretaria da Educação Básica e a presidência do Inep.

"Apologia ao desaprendizado"
Para Romero Venâncio, professor de Filosofia da UFS e diretor da ADUFS, a educação brasileira continuará vivendo à deriva sob nova administração.

"O atual ministro tem sua vida profissional quase toda no mercado financeiro, entrou na UNIFESP em 2014 apenas com um mestrado. Não tem experiência de gestão escolar alguma, não tem vida acadêmica alguma e basicamente vive dando essas palestras com textos que é uma verdadeira miséria da teoria. Esse é o ministro da Educação do Brasil. Me sinto completamente humilhado. A educação não está apenas em péssimas mãos. A educação está perdida. Sem rumo ou com um rumo unidimensional, a saber, do mercado", avalia Romero. 

O diretor da ADUFS destacou que o Brasil vive uma "apologia ao desaprendizado" no governo Bolsonaro. E citou uma palestra do próprio Weintraub, "sem pé nem cabeça". 

"O sentimento é de uma verdadeira apologia ao desaprendizado e à velhacaria. Educação nessa era Bolsonaro é algo surreal e humilhante para um professor com 21 anos no magistério superior brasileiro. Vi o vídeo recente do atual ministro da educação Abraham Weintraub e quase nada do que ele diz tem fundamento. Pior: percebe-se que ele não sabe o que diz. Gracinhas, bobagens, frases sem sentido e afirmações sem fonte alguma. Por exemplo, citou o nome de Horkheimer (filósofo alemão da Escola de Frankfurt) numa afirmação absurda sobre a matemática. Uma palestra sem pé e nem cabeça. Está tudo no youtube."

Acompanhe nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/AdufsSergipe/

 

Veja também